ANÁLISE DA MÚSICA: ASTRONAUTA - OS NONATOS


Por: Djane Assunção - @mestre_djane | Escrito em Dez de 2014/ Atualizado em Ago de 2019

*Esta análise também está na forma de vídeo postado no youtube | http://bit.ly/NonaTos

Astronauta é a primeira faixa do álbum Um nós por dois eus lançado no ano de 2000 e de autoria da então dupla de cantores, repentistas e poetas nordestinos Os Nonatos. Atualmente o paraibano Raimundo Nonato Neto e o cearense Raimundo Nonato da Costa (que não são parentes) estão seguindo carreiras solo e independentes.

A letra foi escrita por Nonato Costa para uma mulher de nome Marciana, fato que tem enorme importância para a análise e que vamos detalhar mais à frente. Observando de maneira geral, podemos dizer que a letra compara o sentimento do amor ao universo, seus astros e corpos celestes, além de trazer referências sobre a relação dos planetas do sistema solar com a mitologia greco-romana.

Eu como astronauta visitei planetas, transpus os limites do céu multicor

Primeiramente, astronauta, que é o título da canção, é um piloto ou passageiro de um veículo espacial que viaja fora da atmosfera terrestre realizando estudos sobre os planetas e demais corpos celestes do universo (asteroides, cometas, estrelas, meteoritos, satélites e etc.). Para essa análise, o conceito de astronauta é assimilado junto a ideia de um sujeito que está vivendo situações características de uma relação amorosa. Isso significa que assim como um astronauta que busca desvendar os mistérios do espaço, o protagonista está em busca de respostas para os enigmáticos caminhos do universo amor.

Na letra, o significado da palavra “planeta” se estende para além de um astro que gravita em torno de uma estrela, como o nosso sol. A palavra planeta também significa mulher, o ser humano do sexo feminino.

Pensando sob a ótica da astronomia, o trecho sobre “traspor os limites do céu multicor”, quer dizer ir além da atmosfera terrestre, ultrapassar os limites desta camada que é popularmente conhecida como céu, que no que lhe concerne, apresenta uma diversidade de cores, em especial tons de azul. Estas cores são provocadas pela ação dos raios solares sobre as moléculas de ar, água e poeira. [1]

Trazendo para a perspectiva do personagem que vive um romance, traspor os limites é fazer coisas que antes ele sequer idealizava, mas agora, por estar envolvido pelo sentimento da paixão por uma mulher, se sente capaz.

Viajei a bordo dos meus pensamentos, fiz do coração um disco voador

No imaginário popular, disco voador é uma aeronave achatada e circular que é frequentemente associada ao veículo de transporte de seres extraterrestres (de fora do planeta Terra). Partindo dessa premissa, a letra tem a noção de amor (representado pela simbologia do coração) como sendo um misterioso e complexo universo, na qual o protagonista busca explorá-lo, da mesma maneira como os discos voadores, que muitos acreditam estarem buscando conhecimento pelo cosmos.

E em meio às galáxias do mundo universo, encontrei em Marte a musa do amor

Viajando entre as inúmeras galáxias, entendidas aqui como aventuras amorosas que compõem o universo do amor, o sujeito acaba se envolvendo com uma mulher, representada figurativamente pelo planeta Marte.

Curiosidade - Atualmente a Terra ainda é o único planeta conhecido com características próprias para o desenvolvimento da vida humana. Visto isso, Marte é o planeta do sistema solar que mais se aproxima com as características da Terra, como, por exemplo, a duração do dia e as estações do ano bastante similares, além da existência de água salgada escorrendo nas encostas das suas montanhas. [2]

Seu nome possui sinônimo de água, mas ela parece ser mesmo é de Marte, madeixas da noite, estética de estrela, beleza que igual não tem noutra parte

Aqui, se encontra o grande segredo da letra, isto é, a identidade dessa mulher misteriosa que fisgou o fascínio do personagem protagonista. O nome desta mulher é Marciana, nome predominantemente feminino com origem no latim e que dizem significar "aquela que descende de Marte". [3]

Note que Marciana traz a presença da palavra “mar”, que é uma referência as grandes porções de água salgada que ocupam aproximadamente 71% da superfície da Terra. Desta forma, seu nome possui sinônimo de água (mar) mas parece ser mesmo de Marte (Marciana: aquela que descende de Marte).

Ressaltamos ainda que Marte é conhecido como o planeta vermelho ou estrela vermelha, algo que o torna belo, característico e místico, qualidades associadas à mulher descrita na análise. Esta assertiva se traduz no trecho “madeixas da noite, estética de estrela, beleza que igual não tem noutra parte”.


Eu estou em órbita entre a Terra e Júpiter, vigiando os astros que seguem seus passos

Marte é o planeta, que em relação à distância ao sol, está posicionado no sistema solar entre a Terra e Júpiter. Dessa forma, nesse trecho, a letra quer passar a ideia de que o sujeito protagonista, ao estar apaixonado deseja se manter próximo da sua amada (em órbita) e atento àqueles que a rodeiam e que porventura busquem aproximação. Em outras palavras, ele está “vigiando os astros que seguem seus passos”.

No céu de sua boca meus lábios decolam, e a nuvem de beijos encobre os espaços, e essa massa cósmica que envolve os planetas, constitui o elo dos nossos abraços

Esse trecho é mais direto quando pensamos na complexidade imposta nesta análise. Aqui, a letra poeticamente descreve uma relação metafórica entre os elementos da astronomia (ciência que trata da constituição, da posição relativa e dos movimentos dos astros) e as ações que são naturais para um casal que se ama.

Destacamos a analogia com o lançamento de um foguete (veículo espacial que utiliza a propulsão a reação) e que está implícita nas frases “meus lábios decolam” e “a nuvem de beijo encobre os espaços”.

Na mitologia Marte é deus guerra, mas ela é a deusa da minha paixão

Por sua cor vermelha o planeta Marte representa o sangue e a guerra. É por isso que os antigos romanos denominam Marte de deus da guerra, também conhecido por Ares para os antigos gregos.

Como já citamos, Marte é um dos mais misteriosos e fascinantes planetas do sistema solar, tal como descreve Andrew Fazekas do National Geographic Brasil:

“O quarto planeta do sistema solar, Marte, há muito capturou a imaginação popular e o interesse científico. Por décadas, os robôs que exploram o planeta vermelho estão enviando imagens de um mundo estranho, repleto de uma beleza de tirar o fôlego. Com montanhas três vezes mais altas que o Everest e cânions cinco vezes mais longos que o Grand Canyon, Marte é um paraíso para viajantes aventureiros. E, com sua atmosfera empoeirada, com calotas polares que mudam com as estações do ano e com um dia de aproximadamente 24 horas, Marte é parecido com a Terra o suficiente para atrair visitantes humanos”. [4]

Seu rosto tem traços da face da lua, seus olhos têm brilho de constelação, e ela como a nave Discovery já fez, uma aterrissagem no meu coração

Nesse trecho, o sujeito exalta a beleza de sua amada, comparando seus traços físicos com a simbologia poética referida a lua e as estrelas, que por sua vez, são corpos celestes citados pelos escritores em diversas literaturas como sinônimos de beleza e romantismo.

Como a nave Discovery (antigo ônibus espacial tripulado pertencente à tropa da NASA, companhia nacional da aeronáutica e espaço pertencente aos Estados Unidos da América) a mulher amada aterrissou seu amor no coração do protagonista, da mesma forma que uma nave espacial pousa em um planeta.

Curiosidade - A lua é um satélite da Terra, cuja evolução em torno desta dura cerca de 27 dias e 8 horas, tempo que igualmente gasta para girar em torno de seu próprio eixo. Por essa razão, a face lunar voltada para nós é sempre a mesma. Não tem luz própria, mas reflete a do sol, de forma diferente, conforme a posição onde se encontra. Tais variações se denominam fases, e podem ser: lua cheia, quando o reflexo da luz solar é feito por toda a superfície visível da lua; lua nova, quando o sol ilumina a face lunar oposta à que se apresenta a Terra, não podendo a lua, assim, refletir para a Terra a luz solar; quarto crescente e quarto minguante, quando só uma parte da superfície visível é iluminada. [5]

Curiosidade - A música Astronauta compõe a trilha sonora do premiadíssimo filme Boi Néon (2015) do diretor Gabriel Mascaro.

Como citar esse artigo: SILVA, João Djane Assunção da. ANÁLISE DA MÚSICA: ASTRONAUTA - OS NONATOS. Abstracionando Pensamentos. João Pessoa, 2016. Disponível em: bit.ly/2DE42JY Acesso em: (dia), de (mês). (ano).


Referências:

[5] http://www.osdicionarios.com/c/significado/lua

4 comentários:

  1. Amo essa música! Conheci através do filme Boi Neon.....filme excelente tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amo essa música, aliás, o trabalho da dupla Os Nonatos. Através de seu comentário eu fui vê o filme. Tenho minhas críticas ao roteiro, mas a fotografia é sensacional! As contradições presentes em cada personagem também chama a gente pro universo do filme. A trilha sonora, para mim que conheço todas as músicas, é impecável! Abraços e obrigado pela indicação implícita do filme.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.