EXTRAINDO SIGNIFICADOS: SÓ SEI DANÇAR COM VOCÊ - TULIPA RUIZ/TIÊ


“Só Sei Dançar Com Você” é a 11º faixa do álbum “Efêmera” lançado no ano de 2010 pela cantora santista Tulipa Ruiz. Posteriormente a música também passou a ser interpretada pela cantora paulista Tiê.

De maneira geral, penso que “Só Sei Dançar Com Você” seja a exposição de um caso amoroso na perspectiva de um dos personagens envolvidos nesse caso. A letra utiliza uma analogia entre o desenrolar de um relacionamento com o ato de dançar. Ao descrever partes de um conjunto organizado de movimentos ritmados do corpo, notamos implicitamente uma personagem narrando as fases do seu específico romance.

A letra primordialmente se baseia na fala da personagem principal para um possível interlocutor, que de acordo com o contexto da canção, se mostra como o outro indivíduo parte do caso de amor.

Você me chamou pra dançar aquele dia, mas eu nunca sei rodar

Nesse primeiro trecho, através da analogia estabelecida com a dança, percebemos uma personagem insegura (mas eu nunca sei rodar) perante o momento em que se encontra seu relacionamento com o interlocutor para quem ela se dirige.

Obs. 01: Perceba que as partes da música, sempre narradas no contexto de uma dança, são constituídas através de uma sequência temporal, ou seja, uma sequência de realizações de uma variável (ações) ao longo do tempo.

Cada vez que eu girava parecia que a minha perna sucumbia de agonia

Aqui, o sentimento de insegurança da personagem principal fica claro. Principalmente na parte que ela diz: “minha perna sucumbia de agonia”.

Através dessa afirmação, podemos dizer que ao passo que o relacionamento ficava mais intenso e a personagem foi se envolvendo com seu interlocutor (cada vez que eu girava), sua insegurança ficou ainda mais intensa. Podemos perceber um certo receio, um desconforto gerado pela dúvida de estar ou não fazendo a coisa certa.

Obs. 02: Sucumbir - ser vencido ou dominado.

Em cada passo que eu dava nessa dança, ia perdendo a esperança

Nesse trecho, identificamos a crise que vive o relacionamento desse casal. A medida que o tempo vai passando (em cada passo que eu dava nessa dança), a personagem principal vai gradativamente desacreditando que ela e seu parceiro poderão realmente viver uma paixão (ia perdendo a esperança).

Obs. 03: Note que os trechos analisados até aqui são todos voltados para um clímax nostálgico, ruim, que sempre pende para um lado negativo.

Você sacou a minha esquizofrenia e maneirou na condução

Nesse trecho, percebemos que a incerteza que parte da personagem principal foi sendo sufocada pela a atitude firme do seu parceiro. É como se ela reconhecesse ser uma pessoa extremamente propensa a vulnerabilidade emocional. E seu companheiro, ao perceber tal fraqueza e medo de se entregar aos sentimentos (esquizofrenia), conduziu com firmeza os passos que sucederam o romance.

Obs. 04: Esquizofrenia - distúrbio cerebral em que o indivíduo interpreta a realidade de maneira incomum.

Obs. 05: Nessa parte, fica clara a analogia que introduzimos ao contexto da canção. Percebemos isso quando sabemos que nas danças que necessitam de um casal para serem realizadas, um indivíduo é ensinado a conduzir, a “ter pegada”. Enquanto o outro é instruído a ser conduzido, a se deixar levar pelo ritmo imposto pelo que conduz.

Obs. 06: Veja que a partir daqui a letra traz o inverso do que foi analisado nos trechos anteriores, ou seja, mostra a superação em meio à crise emocional estabelecida e narrada pela locutora do texto.

Toda vez que eu errava "cê" dizia pra eu me soltar porque você me conduzia

Nessa parte, a personagem principal fala de aceitação, e da paciência que seu interlocutor teve perante a sua situação de fragilidade. É como se ela esclarecesse o quanto ele foi sensato e soube lidar com a dependência que nasceu dentro do relacionamento, onde foi necessário abraçar as dificuldades e as particularidades que foram surgindo.

Mesmo sem jeito eu fui topando essa parada e no final achei tranquilo

Como alguém que está aprendendo a dançar, a personagem principal deixa claro que aos poucos foi sabendo lidar com a situação, mas que isso só foi possível por que ela passou a ter segurança na pessoa que a conduz, que a ensina a dançar (a amar).

Só sei dançar com você. Isso é o que o amor faz

Quando a gente está aprendendo a dançar, nos sentimos seguros para arriscar os passos da dança somente com a pessoa que nos ensina, que nos guia.

Em outras palavras, quando se ama verdadeiramente alguém, passa-se a confiar plenamente nessa pessoa. O amor verdadeiro traz convicção para as nossas atitudes cotidianas, fazendo com que as adversidades da vida sejam transpostas de maneira coerente. Nos sentimos protegidos quando temos alguém que acredita no nosso potencial. Isso é o que o amor faz.

Inscreva-se no canal do blog: http://bit.ly/2uO3Fbe
Segue também no Insta: @abstra_pensa ou http://bit.ly/2vNZWrk
Passa na página do Facebook: https://www.facebook.com/abstrapensa

4 comentários:

  1. Tenho a mesma interpretação dessa música, acho que ela narra o amor e os fatos subsequentes são quando você passa a confiar e a relação vai ficando mais calma e serena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! O amadurecimento no relacionamento e a confiança proporcionada pelo sentimento de amor sincero ocasiona isso!

      Excluir
  2. Ela é totalmente dependente desse amor 😣 assim como eu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria, como nós! Também me identifico com essa letra, nesse sentido :(

      Excluir

Tecnologia do Blogger.