EPITÁFIO


Por: Djane Assunção - @mestre_djane

O passar do tempo é algo tão demente, pois à medida que você vai envelhecendo e subitamente se pega recordando lembranças de momentos há tempos vividos, nota o quanto era ridículo. Não somente por se achar idiota em fotos, mas por também sentir vergonha ao lembrar quantas lutas abraçou sem ao menos entender do que realmente se tratavam.

Se a paciência permitisse, apagaria as inúmeras frases copiadas e repassadas, aquelas com o propósito de chamar a atenção de alguém que sempre lia, mas jamais entendia. Tivesse compreendido mais cedo que só se cresce quando é capaz de criar e vivenciar suas próprias frases, não precisaria ter mentido tantas vezes.

Para quem constantemente chorava escondido, reviver traz uma sensação de insegurança, um sentimento de decepção. Não pense que é um sentimento igual ao arrependimento, não! É apenas a angústia trazida pelo ressuscitar das coisas que fez. O vazio causado pelas inúmeras vezes que caminhou com a cabeça baixa, que se sentiu fraco por não ter tido a dose de sabedoria para agir com frieza.

Uma nostalgia causada principalmente porque ainda era ingênuo para lidar com o amor, um anseio que a cada noite que deixou de dormir para entendê-lo fazia envelhecer um mês ou mais. Não é arrependimento, porque embora tudo que imaginava acerca dos relacionamentos tenha sido dilacerado, por conta das tantas vezes que foi obrigado a ser adulto sem saber como, restou um aprendizado, ainda que imposto dolorosamente.

Observar o porquê de as coisas não ocorrerem como o planejado é essencial para poder fazer com que futuramente elas possam acontecer de maneira correta, ainda que as marcas se tornem eternas como o primeiro grande amor.

Recordar traz tristeza, evoca a frustração de sonhar cotidianamente a mesma culpa provocada por ser incapaz de crucificar os próprios demônios. O medo tornou impossível resgatar lembranças felizes, desde o dia que as madrugadas se tornaram um diário. Quando se vive preso a algo morto, o existir é condenado ao medo que se tem da própria história, e temer o passado é pior do que não ter tido um.

Música sugerida para este texto: Epitáfio - Titãs

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.