COM A CORAGEM QUE A DISTÂNCIA DÁ


Por: Djane Assunção - @mestre_djane

Mandei mensagem e ela respondeu instantaneamente, como se estivesse me observando naquele exato momento. Calmamente, perguntei o porquê de ter me ignorado durante três semanas. Passei vinte e oito dias esperando que cumprisse todas as promessas que fez. Fiz questão de deixar claro que eu estava lá, apenas a seis quadras de sua casa.

Ela questionou porque não fui bater na porta, disse que o culpado fui eu por não ter tido coragem de ir vê-la. Ora... Nunca a vi pessoalmente, nunca a olhei nos olhos, nunca senti sequer o seu cheiro. Mandei várias mensagens que foram visualizadas, mas não respondidas. Era mesmo obrigação minha ir procurá-la?

Respondeu somente agora, quando eu perdi a paciência e fiz questão de por educação, lhe deixar uma mensagem. Uma simples explicação com o propósito de mandar ela se ferrar. Chamou-me de hipócrita, covarde e imaturo. Nesse momento a deixei escrevendo continuadamente, sem ao menos interrompê-la para digitar algo, apenas visualizava, mas sem responder. Posicionei as duas mãos entrecruzadas por sobre a cabeça, umedeci os lábios, descansei a coluna e comecei a olhar para o teto rindo alto.

Depois de ela ter escrito cinco mensagens, que de tão grandes para o padrão das redes sociais mais pareciam pedaços de antigos pergaminhos com trechos bíblicos, resolvi retornar a lhe responder. Ressaltei a importância do meu tempo livre, do quanto foi difícil viajar por horas, para mesmo que por pouco tempo, ter a oportunidade de estar ao seu lado. A tão esperada chance de conhecer a pessoa na qual fiquei por interruptos noventa e sete dias conversando graciosamente e trocando juras.

Digitei um agradecimento pelos momentos divertidos, levantei da cadeira e fui ao banheiro urinar. Fiquei olhando o espelho por uns três minutos, observando minha barba que estava malfeita. Lavei as mãos, as sequei no calção e retornei a me sentar diante a tela do computador. Quando abri a caixa de diálogo para ver o que ela tinha escrito durante a minha pausa, percebi que tinha quarenta e cinco mensagens dela. Li apenas a última delas, na qual dizia: “Foi legal, mas eu estava insegura”.

Nem me dei ao luxo de ler as anteriores, fui ao buscador de pesquisa do meu navegador da web, digitei as palavras “Coração Blindado – Engenheiros do Hawaii”. Copiei um trecho de um dos resultados da pesquisa e simplesmente colei na caixa de diálogo. Em seguida baixei a tela do computador e fui fazer a barba.

Música sugerida para este texto: Coração blindado - Engenheiros do Hawaii

7 comentários:

  1. Hey!!! Que fodaaaaaaaa!!!! Adoro esse estilo, que me passa todos os detalhes pra eu ir visualizando as cenas na mente! Arrasou, arrasou!!!! Ah! Eu acho barba por fazer muito sexy... Haha!! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha Obrigado :3 Muitas mulheres dizem mesmo isso. Beijos :*

      Excluir
  2. Isso é interessante quando se observa de fora, mas não é tanto assim quando se é um dos personagens.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.