DESGESSINGERIANDO: VIDA REAL – ENGENHEIROS DO HAWAII


"Vida Real" é a sexta faixa do álbum "Humberto Gessinger Trio", lançado em 1996 pela banda gaúcha Engenheiros do Hawaii.

Essa é música muito complexa e podemos analisá-la de vários pontos de vista, contudo é sempre bom ousar. Nesse sentido, analisamos a música do ponto de vista de um suicida.

Cai a noite sobre a minha indecisão

Aqui, o eu lírico se sente angustiado e impaciente acerca de tomar ou não uma decisão. Sua angústia se dá acerca do questionamento de falar ou não para uma pessoa que ele ama muito, os seus verdadeiros sentimentos, talvez seus arrependimentos por ter feito algo muito errado. O medo e insegurança o consumiram durante o dia inteiro, a noção de tempo foi esquecida e quando ele percebeu era noite. Seu dia foi inteiramente dedicado a essa perturbação que o inquieta.

Sobrevoa o inferno minha timidez

Aqui, percebemos uma situação em que o eu lírico se encontra beirando a depressão. Por conta da indecisão, ele fica inerme e extremamente desolado (Características que são associadas a tendências suicidas).

Obs. 01: A psicologia associa em alguns casos, a timidez como sintoma de um suicida. Pessoas extremamente tímidas e pessoas com intenção suicida tendem a aceitar apenas o peso do presente, ou a angústia de ações passadas que provocaram remorso e desgosto. Isso se constitui como a negação da dimensão à vida. O suicida e o tímido adquirem uma total intolerância de se sentirem fracos por determinado período.

Obs. 02: Para a religião cristã o suicídio é um pecado grave, que vai de encontro aos preceitos de Deus. Ele acomete a harmonia familiar e social, sendo um pecado gravíssimo que envia a alma diretamente ao inferno. (Sobrevoa o inferno minha timidez).

Um telefonema bastaria. Passaria a limpo a vida inteira

Tudo que o eu lírico espera nesse momento de incerteza é um telefonema da pessoa que ele mais gosta, talvez para dar a certeza, amparo e atenção para ele. Fazer com que lembre tudo de bom que viveram, do que era importante para eles, mostrar o que realmente os deixavam felizes. Porém, mais que tudo, que ele possa falar com essa pessoa tão querida e que ela operdoe por algum erro muito grave que ele cometeu.

Cai a noite sem explicação, sem fazer a ligação

A ligação que ele tanto espera ainda não chegou, ele se encontra tão nostálgico e indeciso que isso está o transtornando. Ele precisa que a pessoa ligue para ele, quer saber se ela ainda se importa com ele, mesmo com os erros que cometeu. Precisa se sentir importante nessa vida, pois se a pessoa que ele mais ama não se importa com sua dor, nada mais é coerente em seu viver.

Na hora da canção em que eles dizem "baby", eu não soube o que dizer

Para aliviar-se desse estresse emocional ele provavelmente está ouvindo música. Geralmente em uma canção dedicada para uma pessoa, a expressão “baby” é usada como uma declaração de afeto, ou um carinho que o compositor sente por tal pessoa. Pelo fato da ligação que ele tanto espera não vir, ele presume que não é mais importante para ninguém. Daí sua afirmação de não saber o que dizer quando o cantor cita o “baby”.

Obs. 03: Sabe-se que o Gessinger tem várias de suas referências nos grandes nomes da música internacional e nacional. Nesse sentido, para reafirmar a questão do "baby" trabalhada nesse verso, citamos um trecho da música Recitanda do genial músico Belchior. Lembrando que o Gessinger tem uma versão de "Alucinação" do mesmo cantor cearense.

"Vem meu bem, meu bem, meu bem, que outros cantores chamam de baby"

Ah...vida real! Como é que eu troco de canal

Aqui é como se ele desse um suspiro de cansaço, onde demonstra sua fragilidade e seu sentimento de fracasso com a vida, sua desmotivação com os problemas que o cercam. Como fugir da realidade? como trocar de canal e esquecer todos os problemas? É bem mais fácil sonhar do que viver.

Esperei chegar a hora certa, por acreditar que ela viria, deixei no ar a porta aberta, no final de cada dia

Ele acreditou que a pessoa que ele ama o perdoaria e voltaria para ele. Todos os dias ele planejava esse momento de pedir perdão, a ocasião em que poderia esclarecer tudo para ela. Acreditou que ela iria em algum momento entrar em contato, pois ele acreditava que ela ainda o amava.

Cai a noite, doce escuridão, de madura vai ao chão

Os dias passam despercebidos e a noite representada pela doce escuridão se apresenta cada vez mais rápido no seu cotidiano. (é no período da noite que ele pode esquecer o mundo inteiro e refugiar suas lamentações no seu próprio mundo de pensamentos). De tanto ele se consumir de depressão, a noite amadurece (aparenta anoitecer mais rápido), e cai no chão. Como uma fruta que apodreceu e veio ao solo para ser consumida pelos vermes, suas lamentações decompõem cada vez mais seu corpo e alma.

Ah...vida real! Ah...vida real! Como é que eu troco de canal?

Nesse momento o nível de desespero dele está tão intenso que ele se questiona na melhor maneira de resolver seus problemas, suas angústias, sua agonia (estado grave de depressão). Como fazer para aliviar a dor de uma vida deprimente e solitária? De ser ignorado e esquecido? Como eu troco de canal? 

Na hora da canção em que eles dizem "Samba", eu não soube o que dizer

Ele não sabe onde encontrar tal motivo para buscar a sua felicidade, já que agora a solidão é seu martírio. “Samba” se remete a alegria, carnaval, folia... Momentos felizes. A felicidade já está fora de cogitação para uma pessoa que está atormentada pela desilusão.

Ah...vida real! Ah...vida real! Tchau!

Seu sofrimento vai ao encontro do alívio que ele tanto busca. Sua dor, sua insegurança e principalmente seu sentimento de inutilidade é tão avassalador que ele se entrega ao desespero. Só resta uma saída (na visão do personagem), e mesmo que a mais drástica que haja, em sua concepção trará a paz e o alívio que ele tanto procura. Tchau vida real!!!

“O suicida na verdade não quer se matar, mas quer matar a sua dor”.
Augusto Cury

“A ideia do suicídio é uma grande consolação: ajuda a suportar muitas noites más”.
Friedrich Nietzsche

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.