ANÁLISE DA MÚSICA: ASTRONAUTA - OS NONATOS


Por: Djane Assunção - @mestre_djane | Escrito em 2014/ Atualizado em 2018

Astronauta é a 1º faixa do álbum Um nós por dois eus, lançado no ano de 2000 e de autoria da dupla de cantores, repentistas e poetas nordestinos Os Nonatos. Nesta letra, Nonato Neto e Nonato Costa empregam metáforas que comparam o amor ao universo, seus astros e corpos celestes, além de trazer referências específicas sobre a relação dos planetas do sistema solar com a mitologia greco-romana.

Eu como astronauta visitei planetas, transpus os limites do céu multicor

Primeiramente, astronauta, que é o título da canção, é um piloto ou passageiro de um veículo espacial que viaja fora da atmosfera terrestre realizando estudos sobre os planetas e demais corpos celestes do universo (asteroides, cometas, estrelas, meteoritos, satélites e etc.).

Em relação ao seu posicionamento na nossa análise, este conceito supracitado é assimilado junto a ideia de um homem que está vivendo situações características de uma relação amorosa. Ou seja, assim como um astronauta que busca desvendar os mistérios do cosmos, este homem adentra pelos enigmas do universo do amor.

Em relação ao campo científico, traspor os limites do céu multicor é ir além da atmosfera terrestre, ultrapassar os limites desta camada que é popularmente conhecida como céu, que por sua vez, apresenta uma diversidade de cores, em especial tons de azul. Estas cores são provocadas pela ação dos raios solares sobre as moléculas de ar, água e poeira. [1]

Já em relação ao campo amoroso, traspor os limites é fazer coisas que ele antes não pensava em realizar, mas por estar envolvido pelo sentimento da paixão agora é capaz.

Viajei a bordo dos meus pensamentos, fiz do coração um disco voador

Disco voador é uma aeronave achatada e circular, que no imaginário popular é frequentemente associada ao veículo de transporte de seres extraterrestres (de fora do planeta Terra).

Considerando a noção de amor como sendo um misterioso e complexo universo, o protagonista da canção busca explorá-lo, da mesma maneira como os discos voadores, que muitos acreditam vagar pelo cosmos (viajei a bordo dos meus pensamentos).

Quando a letra traz “fiz do coração um disco voador” também está querendo mostrar que este homem já teve muitos relacionamentos. Consideramos isso levando em conta a simbologia do coração como o elemento representativo do sentimento de amor.

Em meio às galáxias do mundo universo, encontrei em Marte a musa do amor

Viajando entre as inúmeras galáxias (aventuras amorosas) que compõem o universo (do amor) este homem acaba se envolvendo com uma mulher, aqui representada figurativamente pelo planeta Marte. No entanto, esta mulher não é exatamente o que este homem espera como companheira ideal, embora ele a deseje muito e se mostre apaixonado.

Por que Marte? Por que não é a mulher ideal? – Cientificamente falando, a Terra ainda é o único planeta conhecido com características próprias para o desenvolvimento da vida humana. Já Marte é o planeta do sistema solar que mais se aproxima com as características da Terra, como, por exemplo, a duração do dia e as estações do ano bastante similares e a existência de água salgada escorrendo nas encostas das suas montanhas. [2]

Pensando na ótica da análise, a Terra seria a mulher perfeita, àquela propícia ao bom convívio, portanto, a um bom relacionamento. Contudo, ele encontrou o amor apenas em Marte, que embora seja parecido com a Terra, não é bem visto, possuindo suas particularidades e cercado de um profundo misticismo.

Seu nome possui sinônimo de água, mas ela parece ser mesmo é de Marte, madeixas da noite, estética de estrela, beleza que igual não tem em outra parte

A grande pergunta que cerca esta letra é qual é o verdadeiro nome desta mulher? Para respondermos isto trazemos duas hipóteses baseadas nos nomes: Marciana e Iara.

Hipótese A – Marciana é um nome predominantemente feminino com origem no latim e que dizem significar "aquela que descende de Marte". [3]

Note que Marciana traz a presença da sílaba/palavra “mar”, que para a letra acredito ser uma referência as grandes porções de água salgada que ocupam aproximadamente 71% da superfície da Terra. Desta forma, afirmamos que seu nome possui sinônimo de água.

Assim, Marciana seria a mulher representada na figura de Marte e que em certos aspectos se assemelha a Terra. Lembre-se que uma das semelhanças entre a Terra e Marte é a existência de água salgada, assim como a dos mares.

Diante dessa explicação Marciana tem o sinônimo de água (mar), mas parece ser mesmo de Marte (aquela que descende de Marte).

Hipótese B – Iara porque segundo o folclore brasileiro este é o nome de uma personagem chamada de “Mãe d’agua” e a detentora de uma beleza fascinante que enfeitiça os homens. O poder da Iara seria tão forte que bastaria ela convidar os homens para irem à sua direção que eles iriam acreditando vivenciar uma experiência incrível com a encantadora mulher. Porém, as intenções de Iara são malignas e fatais.

Aqui vale relembrar a metáfora de que a Terra seria a mulher perfeita, entretanto, o protagonista encontrou o amor apenas em Marte. Destacamos também o fato de que por ser majoritariamente coberto de água o planeta Terra ganhou a irônica alcunha de “planeta água”.

Iara seria aquela mulher quem embora se pareça com a Terra (a mulher ideal) é mesmo de Marte (cercada de mistérios). Em outras palavras, o mito Iara é usado para representar como o homem se enfeitiçou pela mulher que ele agora venera, no entanto, ela pode ser perigosa.

Vale lembrar que Marte é conhecido como o planeta vermelho ou estrela vermelha, algo que o torna belo, característico e místico, qualidades associadas à mulher descrita na análise. Esta assertiva se traduz no trecho “madeixas da noite, estética de estrela, beleza que igual não tem em outra parte”.

Eu estou em órbita entre a Terra e Júpiter, vigiando os astros que seguem seus passos

Marte é o planeta que em relação à distância ao sol está posicionado no sistema solar entre a Terra e Júpiter. Desta forma, neste trecho a letra quer passar a ideia de que o homem, ao estar apaixonado deseja se manter próximo da sua amada (em órbita) e atento àqueles que a rodeiam e que por ventura busquem aproximação (vigiando os astros que seguem seus passos).

No céu de sua boca meus lábios decolam, e a nuvem de beijo encobre os espaços, e essa massa cósmica que envolve os planetas, constituem os elos dos nossos abraços

Este trecho é mais sucinto quando pensamos na complexidade imposta nesta análise. Aqui, a letra poeticamente descreve uma relação metafórica entre os elementos que compõem o cosmos e as ações que são naturais para um casal que se ama.

Na mitologia Marte é o deus guerra, mas ela é a deusa da minha paixão

Marte, ou mesmo (Ares), para a mitologia greco-romana é a denominação do deus da guerra. É daí que se tem origem o nome do planeta do sistema solar. Por sua cor vermelha o planeta Marte representa o sangue e a guerra, elementos que segundo a mitologia são de responsabilidade de Ares.

Concordamos que a guerra é um lugar sombrio e sem compaixão, um campo de desamor e de horrores. Por isso ele esclarece que, embora a mulher que deseje aparente aos olhos dos outros não ser a ideal, para ele é sua intensa paixão. Isso fica subtendido quando a letra traz “mas ela é a deusa da minha paixão”.

Seu rosto tem traços da face da lua, seus olhos têm brilho de constelação, e ela como a nave Discovery já fez, uma aterrissagem no meu coração

Neste trecho, assim como em um outro analisado acima, a letra traz analogias elaboradas de forma poética e harmoniosa. Neste caso o protagonista exalta a beleza de sua amada, comparando seus traços físicos com a simbologia poética referida lua e as estrelas, que por sua vez, são corpos celestes citados pelos escritores em diversas literaturas como sinônimos de beleza e romantismo.

Como a nave Discovery (antigo ônibus espacial tripulado pertencente à tropa da NASA - sigla que representa a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço, companhia pertencente aos Estados Unidos da América) ela aterrissou seu amor no coração dele, da mesma forma que uma nave espacial pousa em um planeta.

Curiosidade - a lua é um satélite da Terra, cuja evolução em torno desta dura cerca de 27 dias e 8 horas, tempo que igualmente gasta para girar em torno de seu próprio eixo. Por essa razão, a face lunar voltada para nós é sempre a mesma. Não tem luz própria, mas reflete a do sol, de forma diferente, conforme a posição onde se encontra. Tais variações se denominam fases, e podem ser: lua cheia, quando o reflexo da luz solar é feito por toda a superfície visível da lua; lua nova, quando o sol ilumina a face lunar oposta à que se apresenta a Terra, não podendo a lua, assim, refletir para a Terra a luz solar; quarto crescente e quarto minguante, quando só uma parte da superfície visível é iluminada. [4]


Referências:

3 comentários:

  1. Amo essa música! Conheci através do filme Boi Neon.....filme excelente tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amo essa música, aliás, o trabalho da dupla Os Nonatos. Através de seu comentário eu fui vê o filme. Tenho minhas críticas ao roteiro, mas a fotografia é sensacional! As contradições presentes em cada personagem também chama a gente pro universo do filme. A trilha sonora, para mim que conheço todas as músicas, é impecável! Abraços e obrigado pela indicação implícita do filme.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.