Postagens

Mostrando postagens de 2014

ÍMPETOS DE UM CREPÚSCULO

Imagem
As paredes dos muros se encontram molhadas, pintadas com lágrimas de chuva que demonstram calor, ao expelir vapor diante dos olhos do espectador.
O que ele está fazendo ali? Ele deveria ter ido embora. Por que não partir se já chegou a hora?
A tarde cai, a noite vem, trazendo espíritos do além para perdoar os moribundos da Terra, os exilados de guerra, os que atiram pedra na cruz, em Deus e em Jesus.
Mas ele não vai? O que podemos fazer? Talvez vê-lo crescer e rezar para não desaparecer seu carma, sua alma, seu lençol, sua cama. 
Para não se afogar no mar de lama e ser apenas outro que repele a dor em um martírio de horrores. Se ao menos tivesse pétalas de flores...
A tarde cai, a noite vem, trazendo a visão dos que creem em alguém que olha por eles no caos ou na paz e além do epitáfio de um túmulo escuro que diz “aqui jaz”!
E os muros? Continuam em pé, duros como se enxergassem o mundo ao seu redor. Eles crentes, docentes do momento, na voz passiva ou ativa que transmite ódio, que vivem do…

TURNO

Imagem
Há dezenas de olhos a observar. São tantos olhares inertes e fixos, que o mais singelo movimento que o corpo faça, apresenta em si um desconforto, esse provocado pela angústia de está sendo diametralmente o centro das atenções, mesmo que esteja inteiramente solitário.
A sala com luminosidade a meia luz, tem cerca de uns dez metros de largura por uns quinze de comprimento. Em quase toda posição que a visão se direcione dará de encontro a rostos tão intimidadores que parecem estarem realmente vivos, sempre sentinelas a inquietação da alma humana. Ao longe, é possível escutar com certa dificuldade um diálogo bem delineado, com pausas certas e respostas seguras, possivelmente seja alguma telenovela.
Dividida com a presença de frontes que variam entre formas zoomórficas e humanas, as paredes do local possuem uma iluminação articulada em pontos pré-determinados. Pequenas lâmpadas com tons de cores fortes estão posicionadas de forma a iluminar apenas um campo de cerca de oitenta centímetros de…

EXTRAINDO SIGNIFICADOS: ROOKMAAKER - PALAVRANTIGA

Imagem
"Rookmaker" é a décima segunda faixa do álbum "Esperar é Caminhar", lançado no ano de 2010 pela banda mineira de rock alternativo Palavrantiga.
Eu leio Rookmaaker, você Jean-Paul Sartre
A música começa com um personagem citando em primeira pessoa do singular características artístico/literárias que se diferenciam entre ele e um possível interlocutor. Neste diálogo ele esclarece a diferença de leitura ideológica que ambos possuem. É como se ele estivesse dizendo isso para ressaltar o quanto diferente e contraditórios são os seus pensamentos para com o do seu ouvinte.
Obs. 01: Rookmaaker: Henderik Roelof “Hans” Rookmaaker foi um escritor holandês adepto ao cristianismo. Escreveu a respeito da ambiguidade sobre a arte entre os cristãos e da ambiguidade sobre a fé entre os artistas. Para ele, qualquer discussão sobre o papel da arte deve ser precedida por uma afirmação básica: a arte não precisa de justificativa - nem por motivos religiosos ou propósitos evangelísticos,…

LAMENTO: PARTE III - FINAL

Imagem
Ajeitou-se de forma que se considerasse estar novamente com a elegância anterior e foi caminhando de volta ao ambiente principal do recinto. Quando virou-se em direção à mesa que os dois se situavam, sentiu seus olhos queimarem, sua garganta seca, suas pernas tão pesadas que parecia que ele estava com bolsas de areia amarradas as suas panturrilhas. Em uma cena que ele não sabia se lhe causava ódio ou nojo, viu  diante de si, a mulher que tanto amava abraçada a um senhor de cabelos brancos, que a beijava na boca com tanta vontade que parecia que ia devorá-la. Por um momento não sabia que fazer, ficou estático observando como ela sorria e acariciava a nuca daquele senhor. O velho levantou-se e com sua mão esquerda segurava a mão direita dela e com a outra mão puxou um anel tão brilhante que reluzia na bandeja do garçom que servia vinho na mesa ao lado deles.
Ele continuava sem reação, extasiado, sem forças para ir adiante até o aparente casal. Depois de ela deixar o velho pôr o anel em s…

LAMENTO: PARTE II DE III

Imagem
Todo relacionamento em algum momento é cercado por divergências, discussões que são provocadas pelo desencontro de opiniões. Nesse caso, o que surpreende é que o namoro que no primeiro instante não duraria muito tempo, se arrastava de forma espontânea e sem grandes problemas. É aí que se pode perceber a que proporção pode tomar o dom da manipulação, sendo ela capaz de tecer um amor
que visto pelos do convívio dele e dela se tornava tão belo e perfeito que parecia até escrito em roteiro. Quem sabe realmente não tinha sido?

Oito meses pode parecer uma vida, se você parar para analisar que sequelas emocionais são feridas que se carrega por toda uma existência. Ele se entregou inteiramente ao desejo de fazê-la feliz, era uma obrigação, visto em conta que ela dava sentido ao vazio angustiante que seu coração ferido continha.

Ela, Segura que conseguiu alcançar as bases de seu objetivo, manipulava suas atitudes a fim de tornar seu protótipo de amor inteiramente passivo as suas vontades. Carente…

LAMENTO: PARTE I DE III

Imagem
Lamentar é uma coisa tão fácil, talvez por isso nascemos chorando. Lamentamos por entendermos que estamos prestes a fazer parte de um mundo deturbado. Enquanto crescemos deploramos por não termos uma família que nos criou em berço de ouro, lamentamos porque não tivemos a chance que o amigo da casa ao lado teve, até mesmo estando seguro de ser um sujeito mais talentoso que ele. Embora seja complicado entender como o tempo manipula nossos caminhos, quando se trata de relacionamentos é que se pode perceber como os homens são frágeis. Nesse momento é incrível ver como o lamento é mais um conforto que um tormento.

[...]
Corpo de menina, olhos de mar e um caráter de Artigo 213. Mulher menina ou menina mulher? A ordem dos enganos não altera a proporcionalidade das ações. Delicada, envolve a fraqueza mortal do sexo masculino, ludibria a carência por um motivo, a incessante busca pela razão, pela compensação da responsabilidade criada pela sociedade. Enclausurada pela vaidade, ela tenta a todo c…

RODOVIÁRIA

Imagem
A maioria das pessoas diz que sonha em realizar grandes viagens, conhecer lugares, gente nova, paisagens e outras coisas de quem não abre mão de estar sempre na estrada. Eu particularmente não gosto muito de viagens, não que eu não adore conhecer pessoas novas, lugares e etc., mas pelo fato de que quando falam em viajar, só me vem à mente noites sem dormir em ônibus lotados. Viajar me faz lembrar-se do sentimento que me persegue sempre que me encontro na metade do caminho, aquela sensação desagradável, imprecisa, sentida no abdômen e que pode ser seguida de vômito. Sem falar do tradicional choro de criança que parece definhar meus neurônios a cada nova parada nas rodoviárias das minhas agonias.
Madrugada, domingo, três dias antes do natal. Madrugada, Terça-feira, dois dias para o início dos festejos carnavalescos. Madrugada, sábado, quarenta e sete minutos para o dia das mães.
Do meu lado esquerdo uma senhora contava a quantidade de gotas de dipirona que tentava por em um copinho azul, …

EXTRAINDO SIGNIFICADOS: A MENINA TATUADA - SALOMÃO DO REGGAE/PINGO D'AGUA

Imagem
A Menina Tatuada é uma música que relata a experiência de um indivíduo com o universo das drogas ilícitas. Na minha concepção a letra no geral é bastante clara, no entanto existem algumas partes que muitas pessoas não compreendem, então decidi analisá-la a minha maneira. Particularmente adoro essa música e a acho extremamente interessante (: 
Preciso relatar o que eu fiz, por que eu não quero fazer mais

A canção começa com o personagem afirmando que confessará uma história que ocorreu com ele. Sentindo-se arrependido ele tem a intenção de relatar sua experiência, a fim de conscientizar outras pessoas a não cometerem os mesmos erros que ele.

E hoje perceber que o que parecia ser não era

Ao longo da música percebe-se que a história se dá de forma temporal, ou seja, os acontecimentos vão sendo relatados em épocas diferentes vividas pelo personagem. Mais especificamente, infância, juventude e maturidade adulta. Coisas que em determinado momento da vida consideramos “legais”, podem parecer rid…